Desespero – poesia em forma de oração

D E S E S P E R O

 Desespero – poesia em forma de oração

oraçao

 poesia livre

Senhor, por que me deixaram este vazio tão grande?

Esta dor expectante?… Esta necessidade de amar?

Qual o compromisso, Senhor, que meu espírito tem que cumprir?

Por que me destes esta cruz de impaciência

feita de desespero, em busca das profundidades do meu ser?  

 

Por que esta sede de amar e esta fraqueza 

aqui dentro, querendo arrebentar?

Por que esta angústia e necessidade de fusão?

Por que esta necessidade tão profunda e imensa?

 

Senhor, eu não sei rezar… só sei perguntar.

Só sei pedir, não sei dar.

Por que o ódio aparece aqui e se põe a gritar?

Por que, meu Deus? Por que, Pai, 

me destes uma alma tão pequena,

uma inteligência tão curta e me deixas na luta,

criando conflitos que não sei solucionar?  

 

Senhor, ensina-me a rezar. 

Rezar sem pedir….  rezar sem chorar.

Senhor, eu quero rezar. Ensina-me. 

Ensina-me, também, a calar.

Ensina-me a esperar… e também a perdoar.  

 

Ensina-me, Senhor, não a buscar o AMOR,

mas sim, ajuda-me a aprender a AMAR.

Ensina-me, Senhor, a caminhar tranqüila,

vencer em silêncio a dor que sinta,

a transformar em afetos os meus ressentimentos,

a transformar em alegria as minhas desventuras

e em esperanças os meus desesperos…  

 

Senhor, não sei fingir. Ensina-me a fingir,

 pois a verdade é muitas vezes uma lança venenosa 

que se lança com fé,

no coração dos amigos que nos querem tão bem.

 

Senhor, ensina-me a acreditar na vida,

ter horas de alegria, ter horas de AMOR. 

Quero, Senhor, não só ter coragem,

mas distribuir esperança.

Quero, não só ser amada, mas oferecer AMOR.  

 

Por que, Senhor, esta dor aqui dentro,

me machucando tanto? Por que não me calo?

Por que não transformo minha lágrima em riso,

meu soluço em canto?  

 

Senhor, no lugar de tudo isto que lhe peço,

dá-me apenas, um pouco mais de

.. .. … … … … …  ….  … … … …   .. FÉ ! ! !  

 

                                         ailecaniger -reginacélia

escrita em maio de 1979

(*) – Poesia premiada em 1º lugar, no concurso FREITAS BASTOS DE POESIAS (1985), concorrendo com 2.000 poetas amadores e profissionais.

Direitos autorais protegidos  

 

Sobre reginacelia

Sou Regina Celia nascida em 1944, formada em contabilidade mas trabalhando com serviços de textos e serviços secretarias desde 1977. Nos últimos 15 anos vem trabalhando na internet como apoio a web designers na criação de textos e estrutura de comunicação.
Esta entrada foi publicada em Crônicas e Poesias e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.